quinta, 17 de abril de 2014
LER DORT - Cuidados para sua saúde
CRM
e-mail
senha

É preciso preencher/cadastrar os dados acima para acesso.

LER DORT
LeituraDiminuir letraAumentar letra Versão para Impressão Indicar

Sinovite

A Membrana sinovial é uma fina camada de tecido conjuntivo que tem por função básica o revestimento de estruturas como tendões, cápsulas articulares e bursas sinoviais. É ela composta de células (células sinoviais) cuja função é a produção do líquido sinovial, um gel viscoso que tem por função primária a lubrificação das estruturas as quais recobre.

Uma articulação, um tendão, uma bursa sinovial quando submetidas a um macro traumatismo ou a micro traumatismos de repetição ou ainda, a estímulos de ordem infecciosa, metabólica ou humoral, tendem a aumentar a produção do líquido sinovial na tentativa de diminuir o Stress a que está sendo submetido, facilitando os movimentos de deslizamento de uma superfície sobre a outra em um sistema que, por analogia, poderíamos chamar de espada/bainha.

O líquido sinovial produzido pelas células da membrana sinovial é um líquido transparente e viscoso, formado por um ultrafiltrado do plasma. As células sinoviais secretam também mucopolissacarídeos e pequena quantidade de proteínas de alto Peso Molecular (tais como fibrinogênio e globulinas), as quais se somam a esse ultrafiltrado.

Excetuando-se algumas proteínas de alto peso molecular, a composição do líquido sinovial, do ponto de vista bioquímico, é a mesma do plasma sendo que, através da membrana sinovial é feito este ultrafiltrado.

Quando falamos em inflamação, devemos ter em mente que é ela um fenômeno biológico que consiste em uma reação fisiológica frente a uma agressão. A inflamação é também um fenômeno imunológico, sendo que as células envolvidas neste processo poderão ser diferentes, dependendo do local onde ocorrer a lesão.

Uma inflamação normalmente cessa uma vez retirado o estímulo nocivo que deu início ao processo, sendo que a reparação do tecido agredido ocorrerá em maior ou menor magnitude, dependendo do dano causado pelo fator agressor.

O sufixo utilizado para designar um processo inflamatório é o sufixo "ITE". Desta feita, os processos inflamatórios são descritos de acordo com a estrutura agredida: no caso dos tendões, são descritos como tendinites; no caso da cápsula articular, como capsulite; no caso das bolsas sinoviais, como bursites; no caso da articulação, como artrite; no caso da membrana óssea que recobre os ossos (periósteo), como periostite, sendo que a localização anatômica da estrutura envolvida complementa a denominação.

Assim sendo, temos como exemplo - Tendinite de cotovelo, Bursite de ombro, Tendinite do supra espinhoso, Capsulite de ombro, Tendinite de Aquiles, Periostite de Tíbia etc.

O termo “Sinovite” é usado para descrever o processo inflamatório da membrana Sinovial, independentemente da causa que o gerou, assim como a expressão “Tenossinovite” refere-se ao processo inflamatório da membrana sinovial que recobre o tendão.

Só a partir da exclusão de doenças sistêmicas, alterações hormonais, distúrbios metabólicos, macro e micro traumas realizados em atividades extras laborais, poderemos firmar o diagnóstico de uma “sinovite de origem profissional” o que, neste caso, poderia ser enquadrado como uma DORT.

Não há o diagnóstico honesto de DORT sem uma visita ao posto de trabalho e a constatação de condições nocivas geradoras do processo.

Cabe ao médico que atestar ser o autor portador de uma DORT, vistoriar o posto de trabalho em que o trabalhador desempenha suas atividades e constatar, in loco, se existe a relação direta de causa e efeito entre a alteração clínica e o trabalho que é executado.

Sinovites diagnosticadas em consultórios são apenas processos inflamatórios da membrana sinovial.

Dr. Antonio Carlos Novaes
Especialista em Reumatologia e Medicina do Trabalho


Todos os direitos reserevados - Proibida a Reprodução Parcial ou Total
Projeto NG Sites